League of Legends

Beelzebub – Adotar um bebê demônio não é fácil

Beelzebub é um daqueles animes difíceis de explicar! Mas é justamente essa falta de sentido que desafia o bom senso é o que o torna um anime tão viciante.

Conhecemos Oga Tatsumi, um novato temido na escola por ser uma criatura malévola, ignorante, bruta e cruel que não pensa em nada, nem ninguém. Isso porque estamos falando da escola Ishiyama, conhecida por 120% de seus alunos serem delinquentes.

Certo dia, enquanto andava por aí ele encontra um homem bombadão flutuando no rio. Você pode estar pensando “ah, ele vai ajudar o cara”, certo? Errado.

Tudo o que o nosso delinquente Oga faz é abrir o cara ao meio. Vemos orgãos, tripas e pedaços de carne dentro dele? Que nada, isso é muito normal. Dentro desse homem há um portal dimensional que conecta o mundo dos humanos com o mundo dos demônios e dele sai nada mais nada menos do que um bebê. Mas não se engane, ele não é um bebê qualquer.

Beelzebub

Esse bebê é Kaiser de Emperana Beelzebub IV, Beel, pra abreviar, que foi mandado pelo grande senhor dos demônios para destruir a humanidade.

Mas para esse feito, Beel precisa de um humano para que ele possa usar seus poderes. Mas para esse humano ser compatível com Beel, ele tem que ser uma criatura malévola, ignorante, bruta e cruel que não se importa com nada, nem ninguém. Alguma semelhança com aquele delinquente do começo do texto? Pois é, sobrou pra ele. Se pra lidar com choradeira de bebês já não é fácil, imagine levar um belo de um choque a cada vez que isso acontece.

Beelzebub

Querendo sair dessa vida nada fácil, Oga e seu único amigo, o tarado Takayuki Furuichi saem em busca de outra pessoa que bata com as características de compatibilidade com o Beel. O que não será nada fácil, visto que o garoto de cabelo verde já se apegou ao “Ogro Furioso” de Ishiyama logo de cara.

Sobre o anime em si, ele tem ênfase na comédia, mas rola umas lutas bem empolgantes de vez em quando. Mas não se deixe enganar: a parte de comédia costuma fazer melhor do que aparenta, qualidade dada pelo carisma e identidade de cada um dos personagens (que são muitos). Sim, é um anime onde mesmo os tipos de personagens clichês conseguem ir além e ter uma personalidade marcante. E o Beel, mesmo não falando uma única palavra (além daqueles grunhidos) consegue ser um personagem mais carismático que muitos outros “mascotes” de animes que vemos por aí.

Beelzebub

Infelizmente alguns momentos do anime se tornam um tanto repetitivos, mas é algo que acontece mais nos primeiros episódios.

Mesmo assim Beelzebub é criativo e entrega uma opção diferente de shonen para o público. Pode ter poucas lutas, mas com certeza tem muitos momentos dignos de arrancar umas boas gargalhadas. Culpa do seu humor sem noção.

 

Desenhista preguiçoso e desleixado, assiste anime desde que era conhecido como “desenho japonês” e prefere desbloquear conteúdo de game na marra, sem pagar com dilmas ou obamas. Prefere multiplayer offline e odeia o exagero crescente de funções online nos jogos, já que possui uma internet muito lixo.

You can leave a response, or trackback from your own site.
Subscribe to RSS Feed Siga o TheMentes no Twitter!
Leia o post anterior:
Pelada na Net #02

Bem amigos da internet! Esse é o SEU Podcast de futebol! Vitor e Xande do Rebosteio/Cachorro Sayjin, BeGOD do TheMentes e Rafael e Eduardo do Futirinhas/Google...

Fechar