GTO (Great Teacher Onizuka) – O Professor que eu sempre quis ter

É no mínimo complicado para mim falar desse anime que eu acho fora de série, tanto por abordar os assuntos clichês de escolas japonesas de uma maneira completamente diferente, quanto por ter um dos personagens mais legais dos animes e se trata de GTO (Great Teacher Onizuka).

Onizuka é um ex-líder de uma gangue de motoqueiros, muito sangue ruim (como Sakuragi ou Kuwabara) que decide se tornar professor, por achar que os professores denigrem os alunos e que ele podia fazer a diferença.

O problema é que Onizuka não sabe somar 2+2, mas mesmo assim, consegue mostrar o valor da amizade, confiança no próximo, ser homem de verdade e fazer da escola um lugar de diversão e não de opressão.

Onizuka é contratado para cuidar da sala com os maiores cérebros da escola mas com os maiores problemas de confiança nos professores. Com seu jeito nada ortodoxo faz as coisas acontecerem e se torna um ícone em gerir estudantes. O grande diferencial do professor é o fato dele fumar pelo menos uns 10 cigarros por episódio e mesmo assim demonstra um vigor físico fora do comum (que o livra até de tiros a queima roupa), ser cabeça dura, burro, inocente e fanfarrão faz com que se apaixone pelo personagem.

Escrito por Tohru Fujisawa, GTO é a continuação do mangá Shonan_Junai_Gumi onde Onizuka se revela um completo delinquente e corre atrás de garotas, recentemente foi lançado o manga Bad Company, que conta história de como Onizuka se tornou o maior chefe de gangue de motoqueiros e também um Live Action muito bom sobre GTO.

O Anime conta com 46 episódios produzidos pelo estúdio Pierot (Yuyu Hakusho e Fushigi Yugi), com animação razoável e expressões impagáveis, faz do humor o apelo majoritário, já a abertura fica por conta da banda Larc~en~ciel (figura carimbada do J-Rock) que empolga bastante!

GTO é sem duvida o melhor anime de temática escolar e quem nunca assistiu deveria conferir, pois com certeza não irá se arrepender.

Confira a abertura do anime:

Entusiasta de animação, música e filme. Um pouco boca suja, mas com minhas próprias opiniões.