Kamen Riders ou se preferirem Gafanhotos Motociclistas

All Kamen Riders

Herói zoiudo, antenas e cinto descolado. Quem tem seus 20 e poucos anos, e não tinha os pais chatos e conservadores que proibiam os filhos assistirem japoneses trocando tapas na extinta Rede Manchete, certamente lembra-se do Black Kamen Rider. Sua coreografia de transformação contraindo os músculos, juntamente com a empolgante música, levava a molecada ao delírio, mas mal sabíamos que o Black era só mais um herói proveniente de uma franquia, que em sua grande maioria tinham olhos grandes e vermelhos.

A pauta apesar de ser do universo Kamen Rider, é impossível não citar o seu criador, Shotaro Ishinomori, e suas devidas criações: Cyborg 009 e o gênero Super Sentai de tokusatsu. Ishimori produziu e/ou acompanhou de perto todas produções dos Kamen Riders durante a Era Shōwa. A história da franquia dos Riders se divide em duas Eras: a Shōwa e a Heisei. A Era Heisei se dá início a partir do momento que a Ishimori Productions cria a parceria com a Toei. A partir desse momento nota-se uma enorme modificação no que a gente entendia por Kamen Rider, já que os últimos da Era Shōwa foram o Black e o Black RX.

A Era Heisei dá uma roupagem mais séria ao live action contando histórias com um ar menos infantil e efeitos especiais mais modernos, tornando super contrastante a era dos antigos Riders.

A Rede Manchete passou e reprisou diversas vezes o Kamen Rider Black, e a série do Rider seguinte, o Kamen Rider Black RX, uma forma evoluída do anterior, com os mesmos atores, mas novos inimigos e o melhor: com a volta de Shadow Moon, seu irmão de criação e maior rival. Convenhamos, muitos possuíam uma simpatia extremamente maior ao Shadow Moon, que do próprio Black.

Black Kamen Rider

Uma coisa que não poderia deixar de citar, é um grande erro de tradução que houve na época. Os nomes simbólicos dados pelos Gorgom (império antagonista da série), eram Shadow Moon e Black Sun, e por falta de uma boa interpretação, a tradução mandou a série para a dublagem com os inimigos chamando o Kamen Rider de “Senhor Black”, deduziram Black San.

A influência dos Kamen Riders chegou também ao Brasil. Há uma produção amadora de um herói intitulado Insector Sun. Cômica exatamente por seu amadorismo. Mas não há como não sentir a influência do Kamen Rider Black/RX, o herói brasuca do mesmo modo que o RX, dá seu estiloso karatê no chão antes de dar seu salto para o seu chute mortal.

Entre as séries da Era Shōwa, destacam-se o Kamen Rider Amazon, que possui uma história semelhante ao Mogli: bebê japonês sobrevivente de um acidente aéreo na floresta AMAZÔNICA, cresceu com os animais e herdou o poder INCA para se transformar, foi também o primeiro Rider não-gafanhoto, parecia mais um lagarto ou salamandra. Além claro do Black e do Black RX fechando a Era Shōwa com chave de ouro.

As temáticas dos Riders da Era Heisei eram bem mais diversificadas, não se prendendo mais aos heróis meio gafanhotos com armaduras orgânicas. Talvez por apelos mais tecnológicos e a necessidade do uso de CG nos efeitos especiais, a franquia tornou-se mais moderna. Os atores agora se parecem mais com J-Rockers, e as vezes até um tanto andrógenos.

Kamen Rider Kabuto

Os que mais me chamaram a atenção foram o Kabuto (Rider besouro com armadura high tech) e o Den-O (Rider viajante do tempo). Enquanto o Kabuto focava sua história em um melodrama, o Den-O focava mais na comédia e bom humor, tamanho o sucesso da simpatia de seus personagens, que os mesmo ainda fazem participações em animes, outros live actions e também na série de outros Riders.

Odiada pelos fãs hardcore de tokusatsu, a Saban também profanou os Kamen Riders com as séries Masked Rider, adaptação de Kamen Rider + Malhação e último, atualmente passando na Rede Globo, Kamen Rider Dragon Knight, adaptação do Kamen Rider Ryuki, que não me dei o desprazer de acompanhar, produzida pela 4Kids.

A série atual, Kamen Rider Decade, acaba de transmitir seu último episódio na TV japonêsa, ficou conhecido como o Rider crossover, e também como o Rider cor-de-rosa. A série comemora os 10 anos da Era Heisei passando por todos os universos dos demais Riders da mesma era, e assim assimilando seus poderes. Houve também a participação mais que especial dos Kamen Riders Black, Black RX e Amazon. O seu filme para o cinema nipônico reuniu nada menos que TODOS os Kamen Riders já criados juntos contra um mesmo inimigo, e tome Rider Kicks!

Como de praxe, antes do término de suas séries, a Toei já anuncia a série sucessora: Kamen Rider Double (ou W). O teaser divulgado mostra um Kamen Rider com duas cores, e dois atores se transformando. Bom, só por isso fica difícil de deduzir o que vem por aí.

Mas fica a dica, querem ver um Kamen Rider com história razoável e bons efeitos, confiram o Kabuto, ou para conhecer uma série Rider cativante, fiquem com o Den-O. E também, assistam o vídeo do Kamen Rider Decade para desfrutar da participação dos Riders Black e RX.

Aloha!

Preguiçoso e irritado, é fã de Street Fighter. No tempo livre de seu trampo sigiloso IRL escreve pro TheMentes com todo seu charme.

O mais foda mesmo eh o Kamen Rider X ! SET UP ! X KICK ! Pena q nao tem dublado ou legendado tem q ve em japones msmo..

Opaaa!! Não concordo com o trecho

“A Era Heisei dá uma roupagem mais séria ao live action contando histórias com um ar menos infantil”

O que é menos infantil que perder dois pares de pais, um monstro amigo, ver sua moto sendo controlada aos prantos pelo arqui-inimigo e depois se sacrificando para ajudar seu dono a… salvar o mundo matando o próprio irmão?

E ainda tendo de ouvir do mesmo: “você matou Nobuhiko, e viverá para sempre com essa lembrança!”

Vai dizer que aquele Kamen Rider maquiador é mais sério que isso? 😐 Realmente não entendi…

PQP muito foda kamen Rider Black e Black RX assisti todo dia. Infelizmente ta virando power rangers, “americanizando”. Daq uns dias um dos atores q fizeram algum dos Kamen Riders americanos vai acabar no MMA também.