RAINBOW: Nisha Rokubou no Shichinin – Homens traçam seu destino

“Acreditamos que as cenas EXPLÍCITAS dessa animação são particularmente importantes para retratar a atmosfera desse período de tempo”

Tava de bobeira (pra variar) e vi esse nome estranho, fui ver mais sobre e já me deparei com o nome MADHOUSE (Casshern, Beck, Black Lagoon, Kaiji, Monster e outros) assinando o anime e não precisei saber de mais nada para assistir.

Japão pós-guerra, o país está aos lixos: Pobreza, desigualdade, desemprego… (oh wait!! Esse parece outro país!) Essas condições fazem as pessoas serem mais desleais umas com as outras: Violência, estupros, extorsões entre outras coisas, são praticas comuns. Essa é a ambientação de Rainbow: Nisha Rokubou no Shichinin (Você encontra facilmente como Rainbow nisha).

Um grupo de garotos chegam a um reformatórios, cada um fez algo “errado”  e precisam passar um tempinho por la. Logo que chegam, encontram Sakuragi (um dos detentos que está a mais tempo no reformatório) que os acolhe e ensina lições importantes como amizade, confiança, honra e etc. Valores que os farão ter chances de sobreviver ao inferno e que carregaram por toda a vida. Essas lições são ensinadas na tristeza e na alegria que esse grupo passa diariamente.

RAINBOW: Nisha Rokubou no Shichinin

Lendo assim, vocês devem achar que a história é igual a do filme “Sleepers“, mas eu garanto que é bem diferente, alias, MUITO diferente. É igual somente pelo fato de estarem no reformatório e sofrerem agressões e maus tratos, mas isso é só a “paisagem” da história.

A trilha sonora é muito boa, ajuda a dar o clima certo para as cenas e diálogos que em certas ocasiões fazem chorar bastante e que vale muito a pena assistir, é testosterona saindo pela tela!

Entusiasta de animação, música e filme. Um pouco boca suja, mas com minhas próprias opiniões.