Transformers: Beast Wars – quando o 3D ainda era bom

Quem não lembra quando esse seriado começou a passar? Transformers que viram animais fodões se matando e ainda por cima tudo em 3D!!

Claro, pra algumas pessoas o senso crítico estético já estava bem desenvolvido e ninguém aceitaria nada pior que Toy Story, que tinha aparecido não muito antes da estreia de Beast Wars no Brasil. Mas quem deixou essa crítica ridícula e infundada de lado, e resolveu dar uma chance a essa animação não se arrependeu, pois esse foi o “desenho 3D” mais legal que eu já assisti (sim, pra mim 3D é o 3D de CG, não o 3D de óculos “estereoscópico”). A série é feita pela antiga Mainframe no Canadá que hoje é conhecida como Rainmaker Entertainment.

Beast Wars

Na época eu tinha assistido passando no Cartoon Network… já tinha tido minha dose de desenhos 3D, no Multishow já tinha sido exibido “Reboot“, um do mesmo estilo mas mais antigo ainda, e se me lembro bem com animação mais bem feita, e do “The Real Adventures of Jonny Quest” que apesar da estreia la fora ter sido na mesma época do Beast Wars, a animação em CG era só quando eles entravam em um mundo de realidade virtual em alguns episódios, fora deste mundo era a mesma animação horrorosa da Hannah Barbera com um pouco mais de detalhes.

Antes da estreia do primeiro filme do Transformers, do Michael Bay, eu resolvi ter um gostinho do que era o Transformers de antigamente, fiquei com muita preguiça de baixar a série original dos anos 80 (que eu assisti fervorosamente quando era criança mas não lembro nada, só que eu tive um boneco do Bumblebee), lembrei do Beast Wars, que era um spin-off de Transformers, resolvi baixar a série inteira, e, amigos… Fiquei surpreso por que não lembrava que era tão bom.

Beast Wars

Era interessante por que, antigamente eles nunca investiriam tanta grana em um processo de animação tão caro que não tivesse um roteiro bom. Quando você começa a assistir acha até meio cômico como eram ruins os efeitos e a animação… a série é cheia de clichês e muitas vezes umas piadas bem infantis, porque claro, era um seriado principalmente pra crianças. Hoje vemos este mesmo recurso sendo usado em qualquer filme “família”, tem as piadas mais elaboradas e inteligentes, e tem as piadas mais visuais e pastelonas que qualquer criança vai rir, é o recurso pra agradar a todos.

Fora isso, a história toda é bastante interessante, bem criativa e os personagens são muito bons. Há questões filosóficas e sociais muito legais na série como a emblemática interação entre Rattrap e Dinobot, remetendo a como (logo no começo da série) Dinobot passa do lado dos Predacons para o lado dos Maximals, e Rattrap desconfiado sempre dizendo que “uma vez Predacon, sempre Predacon”.

Beast Wars

Tudo começa com as duas facções, descendentes dos Autobots e Decepticons, caindo em um planeta desconhecido que é rico em energon (lê-se “enerjon”), um material que pode ser usado como fonte de energia para os robôs, mas a energia é tanta que os robôs combinam as linhas de programação deles com o DNA de criaturas do planeta pra sofrerem uma transformação (quando quiserem) em uma versão animal, a fim de protegê-los contra a excessiva energia do planeta… o que começa como uma desculpa pra criar robôs que se transformam em animais, vira um ponto chave e muito bem explorado no decorrer da série.
Em meio a diversas referências à historia humana e à história do Transformers original, Beast Wars consegue te prender mesmo que a grande parte dos episódios sejam histórias relativamente independentes à história principal.

A série era até meio “cruel” porque alguns personagens chegavam a morrer, e normalmente já tinha rolado tempo suficiente pra você se apegar a eles e causar uma dorzinha no coração. Em resumo, se você quer uma sensação nostálgica, não liga pra animação 3D primitiva e quer se entreter em uma série com uma dose bem equilibrada de aventura, sci-fi, mistério e ação, cheia de personagens fodões, veja Beast Wars.

Beast Wars

PS: Não mencionei nada sobre Beast Machines porque eu nunca assisti de verdade, só um episódio ou outro, broxei ao pensar que poderia ver uma série sem o Dinobot… mas ainda vou engolir essas palavras e vou assistir.

No gods. No kings. Only men.